fbpx

Documentarista realizou 30 entrevistas à distância com pessoas diversas e dividiu em cinco partes; episódios estão disponíveis no YouTube

Texto: Juca Guimarães I Edição: Nataly Simões I Imagem: Divulgação

O isolamento social por conta da pandemia da Covid-19, o novo coronavírus, mudou a rotina de muitas pessoas. Um olhar sobre essa transformação no cotidiano e os processos individuais para levar a vida adiante são mostrados nps cinco episódios da websérie “Retalhos de Solidão. O projeto foi idealizado por Hilário Bispo, de 53 anos, e Luciano Ferreira Alves, de 44,  que fizeram a produção, montagem e edição da obra, desde o início da pandemia no país, em março.

“A ideia da série é mostrar para as pessoas que, neste momento, as dificuldades que elas têm não são necessariamente exclusivas delas”, diz Bispo, que foi coordenador-executivo do Núcleo de Consciência Negra da USP e é formado em Teologia das Religiões Afro-brasileiras.

Para Bispo, os depoimentos também mostram que existem estratégias de sobrevivência em tempos de isolamento social. “É um exercício para que as pessoas possam ouvir outras pessoas e entender outros processos e vivências que podem ser úteis na sua vida. É também o registro histórico dos nossos dias”, comenta.

Uma das histórias contadas no primeiro episódio é a de Regilene. “Ela trabalha com faxina e com cozinha. Ela estava fazendo faculdade de gastronomia e teve que trancar o curso. Ela não conseguiu lidar bem com o isolamento e acabou recorrendo a uma ajuda psicológica online gratuita e se recuperou”, explica Bispo.  “É a representação da mulher negra que batalha para criar o sucesso de homens e mulheres negras”, acrescenta.

Outro relato é de uma mulher chamada Vanessa, que diz que sempre trabalhou muito e tem um filho com problemas na fala. “A convivência com o filho no isolamento ajudou ele a lidar com o problema e Vanessa concluiu que não valia a pena trabalhar tanto e ficar longe da família”, relata Bispo.

As entrevistas foram gravadas pelo celular. “Com a pandemia, o mais correto foi pedir que cada um gravasse o próprio depoimento e depois os episódios foram editados”, explica o documentarista.

Nos anos 90, Hilário Bispo participou das lutas do movimento negros pelas políticas de ações afirmativas como cotas em universidades públicas e a campanha “Reparação Já”. Ao todo, foram feitos 30 depoimentos, divididos em cinco partes. Os três primeiros episódios estão disponíveis no YouTube. Os dois últimos vão ao ar nos dias 5 e 12 de julho. 

Confira o teaser:

bannerhorizontal

Sobre o Alma Preta

O Alma Preta é uma agência de jornalismo especializado na temática racial do Brasil. Em nosso conteúdo você encontra reportagens, coberturas, colunas, análises, produções audiovisuais, ilustrações e divulgação de eventos da comunidade afro-brasileira. Nosso objetivo é construir um novo formato de gestão de processos, pessoas e recursos através do jornalismo qualificado e independente.

Contato

E-mail
jornalismoalmapreta(@)gmail.com