fbpx
 

bannerlimpo

Livro com nomes africanos e seus significados foi traduzido para o português com o objetivo de fomentar a adoção de nomes de origem africana no país

Texto / Nataly Simões | Edição / Pedro Borges | Imagem / Laila Swahili

Com 1.046 nomes africanos e seus respectivos significados, organizados por gênero e região, “O Livro dos Nomes Africanos” foi lançado em novembro no Brasil. A obra do autor afro-americano Molefi Kete Asante foi traduzida para o português pela instituição Afrocentricidade Internacional.

De acordo com Anin Urasse, uma das responsáveis pelo processo de tradução do livro, o objetivo é fomentar a adoção de nomes de origem africana no país.

“Ainda temos poucas crianças brasileiras com nomes africanos. Até mesmo entre os filhos de pessoas envolvidas na militância negra e cientes de que os nomes ocidentais não pertencem à cultura do nosso povo”, explica.

Para ela, o compilado de nomes africanos que a obra traz é também uma forma de preservar a cultura africana. “É um livro importante para não deixarmos a cultura negra morrer. Nossa cultura é o nosso sistema imunológico e o que nos caracteriza enquanto africanos da diáspora. A adoção de um nome não é algo simples, há uma mensagem cultural, psicológica e histórica inclusa”, acrescenta.

A revisão técnica e gramatical do livro foi feita por Abiṣogun Ọlátúnjí Odùduwà, Ammit Garvey e Zaus Kush. Juntos à Anin Urasse, eles revisaram o significado de cada nome e discutiram a tradução dos possíveis significados.

“Foi um processo muito rico de aprendizado e reflexão conjunta, além da responsabilidade de traduzir uma obra como essa para que as pessoas negras nomeiem seus filhos. Não é qualquer leitura. Os nomes trazem lições da cultura africana”, comenta Anin.

Financiamento do movimento negro

O dinheiro arrecadado com as vendas do livro será usado para financiar organizações do movimento negro que realizem trabalhos de longo prazo, como é o caso da Afrocentricidade Internacional e de um terreiro de candomblé de Salvador, na Bahia.

Um dos desafios é conscientizar os negros consumidores de literatura sobre a importância de financiar iniciativas do movimento negro.

“Dentro da militância há uma dificuldade de financiar o trabalho de pessoas negras, porque nós temos uma relação muito mal resolvida com o dinheiro. Como se isso fosse um erro ou até algo contra a cartilha do que é ser um militante. É uma incompreensão de para aonde vai o dinheiro. As pessoas precisam entender que o auto financiamento dos movimentos pretos é essencial para uma atuação verdadeiramente autônoma”, avalia Anin.

“O Livro dos Nomes Africanos” está disponível para venda no valor de R$ 30. Basta entrar em contato com a Afrocentricidade Internacional.

Ficha técnica:

Coordenação Geral: Afrocentricidade Internacional

Autoria: Molefi Kete Asante

Tradução e notas: Anin Urasse

Revisão técnica e gramatical: Abiṣogun Ọlátúnjí Odùduwà, Gabriel L. Alves (Ammit Garvey) e Zaus Kush

Logística: Adanne Mukamtagara

Colaboração: Mirembe Nombeko, Bruno Amani e Mpenzi Rocha

Capa: Zaus Kush

Projeto gráfico e diagramação: Abisogun Olatunji

 O povo preto quer narrar suas histórias

Vivemos em um mundo de disputa. Nossa sociedade tem profundas marcas das desigualdades que foram desenhadas ao longo da história. Na atualidade parece que há espaço para debate, a tão falada representatividade está sobre a mesa.
Mas o povo preto quer mais. Queremos narrar nossas próprias histórias. Queremos ter direito de fala não somente quando essa é concedida. Somos múltiplos, somos muitos e plurais. A ótica de ser preto no Brasil se revela como um espectro, tamanha a diversidade dos povos ancestrais que nos originaram, e a variedade de experiências que podemos ter e ser. Pertencer. O que nos conecta é pele.

Apoie o Alma Preta e nos ajude a continuar contando todas essas histórias.

Vamos fazer jornalismo na raça!

Sobre o Alma Preta

O Alma Preta é uma agência de jornalismo especializado na temática racial do Brasil. Em nosso conteúdo você encontra reportagens, coberturas, colunas, análises, produções audiovisuais, ilustrações e divulgação de eventos da comunidade afro-brasileira. Nosso objetivo é construir um novo formato de gestão de processos, pessoas e recursos através do jornalismo qualificado e independente.

Contato

E-mail
jornalismoalmapreta(@)gmail.com