Sambista lutava contra um câncer no pulmão há quatro anos e morreu no início desta segunda-feira (18) aos 65 anos; conheça a trajetória do cantor

Texto / Nataly Simões | Edição / Pedro Borges | Imagem / Caio Reis

Reinaldo Gonçalves Zacarias, mais conhecido como “Príncipe do Pagode”, foi um cantor e compositor carioca nascido no bairro de Cavalcanti, na Zona Norte do Rio de Janeiro.

Apaixonado pelo samba, ele deixou o emprego de bancário em 1977 para se dedicar à música. Pouco tempo depois, em 1980, ele se mudou para São Paulo, onde fez grande parte de sua carreira como sambista.

Com a experiência do Cacique de Ramos, tradicional bloco do subúrbio do Rio de Janeiro, o cantor ajudou a popularizar as rodas de samba na capital paulista. Ele foi um dos fundadores do grupo Clube do Pagode, pertencente à escola de samba Camisa Verde e Branco.

Seu primeiro disco, chamado “Retrato Cantado de Um Amor”, lançado em 1988, foi um sucesso de vendas e rendeu ao sambista um disco de ouro. Em 1999, o cantor presenteou os fãs com o primeiro volume da trilogia “Pagode Pra Valer”, que reunia discos gravados em rodas de samba com convidados como Arlindo Cruz, Jorge Aragão, Elza Soares e Marcelo D2.

Ao longo de sua trajetória, o compositor também gravou com grandes nomes do samba como Beth Carvalho, Leci Brandão, Zeca Pagodinho e o grupo Fundo de Quintal.

Em entrevista ao Programa do Bial, exibido pela TV Globo, em 2018, Reinaldo lembrou que o título de “Príncipe do Pagode” foi dado por um radialista de São Paulo, que o apresentava dessa maneira no programa de rádio.

Morte e repercussão

Reinaldo Gonçalves Zacarias lutava contra um câncer no pulmão há quatro anos, apesar de o tipo agressivo de câncer o deixar debilitado, o sambista seguia ativamente sua agenda de shows.

O cantor, que havia completado 65 anos no dia 9 de novembro, faleceu nas primeiras horas desta segunda-feira, 18 de novembro. De acordo com a assessoria de imprensa, o compositor sofreu uma parada cardiorrespiratória e foi levado para o hospital, mas não resistiu.

Nas redes sociais, grandes nomes do samba lamentaram o falecimento de Reinaldo. O sambista Dudu Nobre escreveu em seu Instagram: “Obrigado príncipe por tudo que você sempre fez pelo nosso samba! Descanse em paz”.

Mumuzinho, por sua vez, escreveu: “Descanse em paz nosso eterno príncipe do pagode Reinaldo. Que dia triste pro nosso samba e pra música brasileira. Seu legado nunca será esquecido.”.

A escola de samba Camisa Verde e Branco, na qual Reinaldo tinha ligação, também publicou uma homenagem ao compositor. Acompanhada de uma foto do cantor, o post no Instagram diz: “A segunda-feira começou mais triste. Impossível não sentir o seu falecimento, Reinaldo, o Príncipe do Pagode. A comunidade camisa Verde e Branco apenas agradece a sua amizade, parceria e seu carinho. Obrigado por tudo que você fez pelo samba e pela música.”.

bannerhorizontal

Sobre o Alma Preta

O Alma Preta é uma agência de jornalismo especializado na temática racial do Brasil. Em nosso conteúdo você encontra reportagens, coberturas, colunas, análises, produções audiovisuais, ilustrações e divulgação de eventos da comunidade afro-brasileira. Nosso objetivo é construir um novo formato de gestão de processos, pessoas e recursos através do jornalismo qualificado e independente.

Contato

E-mail
jornalismoalmapreta(@)gmail.com

Mais Lidos