fbpx

Série de lives promovidas pelas Oficinas Culturais Maestro Juan Serrano e Alfredo Volpi começam na sexta-feira (10) e se prolongam até o fim de julho

Texto: Flávia Ribeiro | Edição: Nataly Simões | Imagem: Divulgação

O Dia da Mulher Negra Latino-Americana e Caribenha, celebrado em 25 de julho, será marcado por uma programação gratuita e online promovida pelas Oficinas Culturais Maestro Juan Serrano e Alfredo Volpi, integrantes do programa Oficinas Culturais da Secretaria de Cultura e Economia Criativa do Governo do Estado de São Paulo. O 25 de julho também é Dia Nacional de Teresa de Benguela, líder quilombola do século 18, que lutou contra a escravidão das populações negra e indígena.

A partir da sexta-feira (10), a Oficina Cultural Alfredo Volpi promove a roda de conversa “Já ouviu? – Histórias inéditas e costumeiras de mulheres”, que será coordenada pela atriz, poeta e figurinista Patricia Ashanti, e a arte-educadora, cantora e poeta Mariana Per. A atividade é voltada para a trajetória de mulheres negras que protagonizaram épocas históricas, além de perceber relações entre as experiências delas e vivências atuais das mulheres afro-brasileiras. A transmissão ao vivo será a partir das 15h, no Instagram da Mariana Per, nos dias 10 e 24. Já nos dias 17 e 31, as lives serão no Instagram da Patricia Ashanti, também às 15h.

Outra atividade da mesma oficina é o bate-papo ao vivo “Cabra-Macho é o único arquétipo possível para o nordestino?”, no Instagram , que contará com a participação do músico e compositor pernambucano Guitinho da Xambá. Também não há necessidade de inscrição, basta acessar o perfil no dia 23 de julho, quinta-feira, às 19h.

Já a Oficina Cultural Maestro Juan Serrano realiza a “Sessão musical: Femininas almas negras do samba”, no sábado (11), às 15h. Por uma plataforma on-line, a dupla Ana Brasil e Ronaldo apresenta cantigas que representam as mulheres negras com trajetórias marcantes na música brasileira. Entre as obras resgatadas estarão as de Elza Soares, Leci Brandão, Jovelina Pérola Negra, Alcione, Dona Ivone Lara e Clementina de Jesus. Para fazer parte do palco virtual, é necessário solicitar acesso pelo WhatsApp (11) 3971-3640.

Dentre outros temas, o evento incentivará a reflexão crítica sobre os mecanismos culturais e sociais que ajudam a reforçar o abuso para além das relações afetivas e os reflexos do patriarcado na divisão de raça, gênero e classe. Barbara Milano, Cathe, Grupo de Estudos e Práticas de Toque e Cuidado, Flavia Lobo de Felício, Moara Brasil, Nicole Aun, Raylander Martins e Vanessa Crioulla são as convidadas da roda de conversa mediada por Karlla Girotto do Grupo Maior que Eu – estudo e pesquisa em arte e criação.

O projeto Palco virtual da Oficina abre portas para artistas de todas as categorias e demais coletivos com interesse em demonstrar seus trabalhos através de transmissão direta pela internet, sendo uma forma de fomentar a economia da cultura colaborativa em sua produção artística. As apresentações poderão ser realizadas nos formatos de pocket show, roda de debate ou talk show. Os interessadados em exibir seus trabalhos artísticos para diversos públicos devem entrar em contato pelo e-mail Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo..

bannerhorizontal

Sobre o Alma Preta

O Alma Preta é uma agência de jornalismo especializado na temática racial do Brasil. Em nosso conteúdo você encontra reportagens, coberturas, colunas, análises, produções audiovisuais, ilustrações e divulgação de eventos da comunidade afro-brasileira. Nosso objetivo é construir um novo formato de gestão de processos, pessoas e recursos através do jornalismo qualificado e independente.

Contato

E-mail
jornalismoalmapreta(@)gmail.com