Gabriela Mendes, da No Front, participa da atividade, que acontece na Universidade de Michigan, entre os dias 11 a 13 de junho

Texto / Simone Freire | Imagem / Reprodução I Edição / Pedro Borges

Plataforma de capacitação que surgiu para fornecer educação econômica e alfabetização financeira para a comunidade negra no Brasil, a No Front é uma das iniciativas selecionadas para participar da 1ª Cúpula Anual Global de Avanço da Juventude, na Universidade de Michigan (EUA), entre os dias 11 e 13 de junho.

Ao todo, serão 200 jovens que debaterão como desenvolver soluções inovadoras para os principais desafios enfrentados pelas pessoas em todo o mundo em cinco temáticas: Artes e Cultura, Educação, Meio Ambiente, Cuidados com a Saúde e Meios de Subsistência (Emprego e Empreendedorismo).

Gabriela Mendes, uma das idealizadoras da No Front, é quem participará da atividade nos Estados Unidos. Ela terá o desafio de contextualizar os presentes sobre o poder econômico da população negra, que movimentou cerca de R$ 1,7 trilhão em 2017 (cerca de US$ 413 bilhões), segundo o Instituto Locomotiva.

“A nossa participação é importante porque estamos levando uma proposta preta e periférica relacionada à economia para os Estados Unidos”, diz.

Distribuir conhecimento

Desde que foi criada, em maio de 2018, a No Front tem realizado cursos de educação financeira por diversas cidades do país. Segundo Mendes, a iniciativa é “uma tentativa de superar as dificuldades que a comunidade negra, ao longo dos anos, tem encontrado para superar o ciclo vicioso da pobreza devido à desigualdade racial, à exclusão financeira e à falta de alfabetização financeira”.

Para aproximar este público das lógicas da educação financeira, e quebrar com a barreira que muitas pessoas têm de achar que a economia é algo muito difícil ou impossível, a metodologia usada pela iniciativa é totalmente inovadora.

“A gente traz reflexões a partir da discografia do Racionais MC´s em todo o processo para pensar questões como consumo, ostentação e até mesmo as perspectivas para o futuro”, explica Mendes.

Outras três iniciativas brasileiras participam da atividade: Words Heal the World, ONG fundada por Beatriz Buarque; Zoo Compost Club, criada por Ricardo Beck; além da EcoClico, com a participação das brasileiras Karla Godoy, Adrielle Menezes, Hellen Sousa e Patrícia Zanella.

Sobre o Alma Preta

O Alma Preta é uma agência de jornalismo especializado na temática racial do Brasil. Em nosso conteúdo você encontra reportagens, coberturas, colunas, análises, produções audiovisuais, ilustrações e divulgação de eventos da comunidade afro-brasileira. Nosso objetivo é construir um novo formato de gestão de processos, pessoas e recursos através do jornalismo qualificado e independente.

Contato

E-mail
jornalismoalmapreta(@)gmail.com

Mais Lidos