Seminários acontecem gratuitamente durante três dias em São Paulo com convidados especiais que discutem temas que vão do feminismo negro ao movimento Hip Hop

Texto / Divulgação
Imagem / Divulgação

O Geledés Instituto da Mulher Negra, em parceria com o SESC Vila Mariana, celebra seus 30 anos de trajetória política e social com uma série de seminários a serem realizados entre os dias 05 e 19 de abril de 2018 na unidade que fica na Rua Pelotas, 141, Vila Mariana. Participam da celebração ativistas, pesquisadoras(es), gestoras(es) de políticas públicas, formadoras(es) de opinião e artistas, que compartilharam com a organização as lutas, conquistas e os desafios persistentes pela efetivação de direitos e dignidade para mulheres e negros.
Os seminários vão refletir sobre as questões de gênero e raça na sociedade brasileira, os desafios da conjuntura para a permanência e avanços destas agendas.

O evento também trará à luz a memória dos principais projetos de Geledés em suas três décadas de existência, com avaliações críticas a serem feitas pelas distintas gerações presentes.
Os participantes irão receber um certificado de Geledés. As inscrições podem realizadas no Portal Geledés (www.geledes.org.br).

Programação:

05 de abril

10h às 13h – Negros e Mulheres no Processo Constituinte

Palestrantes: Edson Cardoso, coordenador do ÌROHÍN, Centro de Documentação, Comunicação e Memória Afro-brasileira, doutor em educação pela USP, jornalista e mestre em Comunicação pela Universidade de Brasilia; Helena Theodoro, doutora em filosofia (UFG), mestre em Educação (UFRJ), Pós-Graduação em Tecnologia Educacional, Fundação Konrad Adenauer (Alemanha), especialista em Cultura Negra e Carnaval, foi vice-presidente do Conselho Estadual dos Direitos do Negro, CEDINE; Hélio Santos, mestre em Finanças e doutor em Administração pela FEA-USP, é presidente do Conselho do Fundo Baobá para a Equidade Racial, presidente do Instituto Brasileiro de Diversidade (IBD) e diretor do Aceleradora Vale do Dendê; Maria Betânia Ávila, doutora em Sociologia pela Universidade Federal de Pernambuco, co-fundadora e pesquisadora do SOS Corpo, Instituto Feminista para a Democracia; e Rafael Pinto, coordenador estadual do Centro Nacional de Africanidade e Resistência Afro-Brasileira-Cenarab/Conen, Ogan Pejigan do Ilê Axé Iansan/Araras.

Debatedores: Douglas Belchior, historiador, membro do Conselho Geral do Movimento UNEAFRO-Brasil; editor do Blog Negro Belchior; Viviane Ferreira, cineasta e advogada com atuação voltada para direitos autorais, direito cultural e direito público. Preside a Associação Mulheres de Odun; sócia-fundadora da empresa Odun Formação & Produção.

Mediação: Sueli Carneiro, coordenadora executiva do Geledés Instituto da Mulher Negra.

14h30 – 18h: Mulheres em luta – ontem e sempre

Palestrantes: Amelinha Teles, bacharel em Direito, coordenadora da União de Mulheres de São Paulo e do Programa de Promotoras Legais Populares – PLPs; Guacira Cesar Oliveira, socióloga, diretora do Coletivo Feminista de Estudos e Assessoria (CFEMEA); Jurema Werneck, médica, doutora em Comunicação, diretora executiva da Anistia Internacional no Brasil, fundadora da ONG Criola; Sueli Carneiro, filósofa, doutora em Educação, coordenadora executiva de Geledés Instituto da Mulher Negra.

Debatedoras: Neon Cunha, publicitária, funcionária pública, feminista interseccional, ativista independente e mulher transgênera; Stephanie Ribeiro, arquiteta, escritora, ativista feminista e uma das fundadoras do projeto Afronta.

Mediação: Nilza Iraci, coordenadora executiva do Geledés Instituto da Mulher Negra

19h às 20h30: Show Divas Negras

Leci Brandão, cantora, compositora e umas das mais importantes intérpretes de samba da música popular brasileira, deputada estadual pelo PCdoB, com atuação pela promoção da igualdade racial, do respeito às religiões de matriz africana e à cultura brasileira, pela inclusão da população negra e indígena, por mais cultura e educação, por saúde de qualidade, pela garantia de direitos dos trabalhadores, da juventude, em especial a pobre e negra, das mulheres e do segmento LGBT;

Luedji Luna, integrante da nova geração de cantoras da música popular brasileira, suas canções são inspiradas nas sonoridades da África, da diáspora africana e do Brasil.

 

12 de abril

14h30 às 19h: Educação – atuações por ações afirmativas e pela educação como um direito humano

Palestrantes: Cidinha da Silva, escritora, doutoranda no Programa Multi-institucional e Multidisciplinar em Difusão do Conhecimento da UFBA; Juarez Tadeu de Paula Xavier, doutor em Comunicação e Cultura, assessor da Pró Reitoria de Extensão da UNESP; Márcia Lima, professora do Departamento de Sociologia da FFLCH/USP, pesquisadora sênior do Centro Brasileiro de Análise e Planejamento associada ao Centro de Estudos da Metrópole (CEPID-FAPESP).

Debatedoras: Débora Silva, professora de matemática, educadora social de juventudes, integrante do Coletivo Sociocultural Macambira; Edilza Sotero, doutora em Sociologia, professora da Faculdade de Educação/UFBA.

Mediação: Suelaine Carneiro – Coordenadora Geledés Instituto da Mulher Negra.

Intervenção Poética: Sarau das Pretas

 

19 de abril

14h às 17h – SOS Racismo: histórico de luta e estratégias de litígio no direito brasileiro e internacional

Palestrantes: Antonio Carlos Arruda, advogado e ex-Coordenador Estadual de Políticas para a População Negra e Indígena; Eliane Dias, advogada, coordenadora do SOS Racismo na Assembléia Legislativa de São Paulo/ALESP e CEO da produtora Boogie Naipe; Eunice Prudente, professora doutora da Faculdade de Direito da Universidade de São Paulo – USP; Rodnei Jericó, advogado, mestrando em Direitos Humanos, articulista esportivo e coordenador do projeto SOS Racismo de Geledés Instituto da Mulher Negra.

Debatedores: Allyne Andrade, advogada, doutoranda em Direitos Humanos e supervisora de educação do Instituto Brasileiro de Ciências Criminais (IBCCRIM); Sinvaldo José Firmo, advogado e coordenador do Departamento Jurídico do Instituto do Negro Padre Batista.

Mediação: Maria Sylvia Oliveira – Presidenta de Geledés Instituto da Mulher Negra.

17h30 às 20h30 – Projeto Rappers: reflexão sobre o movimento hip hop

Palestrantes: Clodoaldo Arruda, filósofo, rapper, ex-articulista da revista Pode Crê e ex-membro do Projeto Rapper; Flávio Carrança, jornalista, ex- editor da revista Pode Crê e Coordenador da Comissão de Jornalistas Negros pela Igualdade Racial-COJIRA/SP; Marco Antonio Silva, músico, rapper, Grupo DMN, ex-articulista da revista Pode Crê! e ex-integrante do Projeto Rapper; Sharylaine, rapper, compositora, arte-educadora, produtora cultural e ativista cultural.

Debatedores: Jaqueline Santos, doutoranda em Antropologia e pesquisadora dos temas juventude, educação, políticas sociais, relações étnico-raciais, gênero, pós-colonialismo, cultura hip-hop e PALOP (países Africanos de Língua Oficial Portuguesa); Marcelo Cavanha, educador social, militante da Rede Quilombaço e Fórum de Hip Hop de Jabaquara.

Mediação: Solimar Carneiro, Coordenadora Executiva do Geledés Instituto da Mulher Negra.

 

Serviço:

Comemoração de 30 anos de Geledés
Local: Sesc Vila Mariana
Endereço: Rua Pelotas, 141, Vila Mariana
Data: 05, 12 e 19 de abril de 2018
Horários: Consultar programação
Evento gratuito

Sobre o Alma Preta

O Alma Preta é uma agência de jornalismo especializado na temática racial do Brasil. Em nosso conteúdo você encontra reportagens, coberturas, colunas, análises, produções audiovisuais, ilustrações e divulgação de eventos da comunidade afro-brasileira. Nosso objetivo é construir um novo formato de gestão de processos, pessoas e recursos através do jornalismo qualificado e independente.

Onde Estamos

Endereços e Contatos
Rua Tonelero 201, ap 102. CEP: 05056-000
Vila Ipojuca, São Paulo
contato(@)almapreta.com

Mais Lidos