Atividade que acontece no Sesc Ipiranga aborda subjetividade relativa ao universo de homens negros

Texto / Amauri Eugênio Jr.
Imagem / pexel.com

O que você queria ter sido na infância? Qual era o perfil de garoto que você gostaria de ter? Como familiares, professores e demais pessoas te recriminavam, pois era necessário seguir um modelo estabelecido pela sociedade?

É notório que meninos negros são condicionados a ter determinado tipo de comportamento na infância, pois esse é o primeiro estágio da formação do indivíduo em âmbito social.

Como consequência, homens negros têm de seguir determinado padrão social no qual são incentivados a não demonstrar nenhum tipo de sentimento, afetividade ou complexidade psicológica, uma vez que seus corpos são vistos como máquinas para trabalhos braçais. E, desse modo, eles têm a percepção de humanidade e a subjetividade pessoal negadas.

Aspectos relacionados ao papel do homem negro na humanidade são retratados na roda de conversa “Masculinidades pretas: que homem preto eu quero ser?”, que faz parte da programação do festival "Fricções negritudes".

Promovida pelo Asili Coletivo, a atividade, que acontecerá domingo (3), no Sesc Ipiranga, tem como objetivo promover reflexão e debate sobre o modelo vigente de masculinidade relegado a homens negros e quais possibilidades são possíveis nesse cenário, cujo objetivo é romper com o modelo tóxico estabelecido pela sociedade civil.

Saiba mais

A roda de conversa “Masculinidades pretas: que homem preto eu quero ser?” será realizada dia 3 (domingo), às 14h, na área de convivência do Sesc Ipiranga (rua Bom Pator, 822, Ipiranga, São Paulo).

No mesmo dia, às 18h, será apresentado no teatro do espaço o espetáculo “Farinha com açúcar ou sobre a sustança de meninos e homens”, que contará com participação de Jé Oliveira e Banda.

Sobre o Alma Preta

O Alma Preta é uma agência de jornalismo especializado na temática racial do Brasil. Em nosso conteúdo você encontra reportagens, coberturas, colunas, análises, produções audiovisuais, ilustrações e divulgação de eventos da comunidade afro-brasileira. Nosso objetivo é construir um novo formato de gestão de processos, pessoas e recursos através do jornalismo qualificado e independente.

Contato

E-mail
contato(@)almapreta.com

Mais Lidos