fbpx

As apresentações da peça autobiográfica “Histórias Bordadas em Mim”, de Agrinez Melo, serão nos dias 4 e 5 de outubro

Texto / Nataly Simões | Edição / Pedro Borges | Imagem / Fernando Azevedo/Divulgação

O espetáculo “Histórias Bordadas em Mim” fará duas apresentações, nos dias 4 e 5 de outubro, em São Paulo. A peça é uma narrativa autobiográfica da atriz Agrinez Melo. De forma lúdica, a protagonista compartilha suas vivências enquanto mulher negra, nordestina, mãe e artista.

A encenação promove uma reflexão social sobre a valorização do ser humano, o resgate da ancestralidade negra e seus elementos culturais familiares à tradição nordestina.

De acordo com Agrinez Melo, o espetáculo é necessário para o fortalecimento da identidade negra. “Nos afastamos cada vez mais de quem somos. A peça é necessária por trazer histórias de amor, dor, violência, superação, descoberta da negritude e valorização da ancestralidade negra”, conta a atriz.

No decorrer da peça, música e poesia ajudam Agrinez Melo a compartilhar situações reais em tom aconchegante. “As histórias narradas, tão minhas, também serão do outro, pois se assemelham a diversas pessoas. A peça pode ser uma possibilidade de mudar algo na vida, transformar um olhar, ou simplesmente um convite de partilha", avalia a artista.

Valorização da arte negra

“Histórias Bordadas em Mim” estreou em 2016 e é o primeiro trabalho independente de Agrinez Melo. Apesar da falta de financiamento, a artista uniu esforços para trazer o espetáculo de Pernambuco para São Paulo.

O objetivo é ampliar as possibilidades de trabalho para mulheres negras dedicadas à arte. “A ideia é criar uma rede de intercâmbios para fazer a arte negra ecoar”, comenta a atriz.

O espetáculo ainda deve passar por outras regiões do país. O próximo passo de Agrinez Melo é apresentá-lo em Salvador, na Bahia.

Serviço:

Peça “Histórias Bordadas em Mim”

Quando: Dia 4 de outubro, sexta-feira, às 20h

Onde: Goma Capulanas | Rua José Barros Magaldi, 1.121, Jardim São Luís, São Paulo - SP

Ingressos: R$ 10 (meia-entrada) e R$ 20 (inteira).

Quando: Dia 5 de outubro, sábado, às 15h

Onde: Fábrica de Cultura Diadema | Rua Vereador Gustavo Sonnewend Neto, 135, Centro, Diadema – SP

Entrada gratuita.

 O povo preto quer narrar suas histórias

Vivemos em um mundo de disputa. Nossa sociedade tem profundas marcas das desigualdades que foram desenhadas ao longo da história. Na atualidade parece que há espaço para debate, a tão falada representatividade está sobre a mesa.
Mas o povo preto quer mais. Queremos narrar nossas próprias histórias. Queremos ter direito de fala não somente quando essa é concedida. Somos múltiplos, somos muitos e plurais. A ótica de ser preto no Brasil se revela como um espectro, tamanha a diversidade dos povos ancestrais que nos originaram, e a variedade de experiências que podemos ter e ser. Pertencer. O que nos conecta é pele.

Apoie o Alma Preta e nos ajude a continuar contando todas essas histórias.

Vamos fazer jornalismo na raça!

Sobre o Alma Preta

O Alma Preta é uma agência de jornalismo especializado na temática racial do Brasil. Em nosso conteúdo você encontra reportagens, coberturas, colunas, análises, produções audiovisuais, ilustrações e divulgação de eventos da comunidade afro-brasileira. Nosso objetivo é construir um novo formato de gestão de processos, pessoas e recursos através do jornalismo qualificado e independente.

Contato

E-mail
jornalismoalmapreta(@)gmail.com