O pré-lançamento acontece neste sábado, 21 de setembro, na Zona Sul de São Paulo

Texto / Lucas Veloso | Edição / Pedro Borges | Imagem / Reprodução

Neste sábado, 21 de setembro, acontece o lançamento de “Pilar: futuro e presente. Uma antologia para Tula”, em homenagem à poeta, morta em abril deste ano ano.

Com projeto gráfico assinado por Loredana Oliveira, a obra é composta por quatro capítulos. O primeiro traz poesias de protestos, relatos do cotidiano, textos de denúncias e escritos autobiográficos de Tula. O segundo conta com poesias eróticas que ela produzia. O terceiro são entrevistas e transcrições de depoimentos que Pilar deu durante a carreira.

“No último capítulo, são cartas, escritas por mulheres, de maioria negras, da zona zul, remetendo ao território dela”, define Maitê Freitas, organizadora e editora do livro. “Queríamos homenagear a Tula com afeto. São textos que criam lastros no tempo”, completa.

O pré-lançamento acontece na quarta edição da Feira Literária da Zona Sul, a Felizs. Com o tema “Meu corpo, minha marca no mundo”, a programação se estende até o dia 21, em escolas e espaços culturais do Campo Limpo. Nos dois últimos dias, o evento ocupa a praça da região.

Maitê lembra que a ideia da obra surgiu logo depois do falecimento da poeta, mas por conta do luto, a iniciativa foi adiada. “Foi uma ideia coletiva. Vimos a necessidade de prestar homenagem, depois de uma conversa com a Carmem Faustino [a outra organizadora da obra e a Suzi [produtora do Sarau do Binho]. A gente guardou a ideia. Em julho, a Suzi entrou em contato comigo perguntando se eu toparia essa publicação”, comenta.

Ela também pontua que a produção do título foi feita entre mulheres que, de alguma forma, tiveram contato com a obra de Pilar, ou que conviveram muito perto dela. “São amigas, estavam perto dela. O processo foi muito afetivo com a família, e os mais próximos dela”.

A jornalista Livia Lima é uma das pessoas que escreveu carta para Tula. Livia conheceu a amiga quando ela vendia a revista Ocas nas ruas de São Paulo, e também quando se apresentava no Sarau do Binho, tradicional da zona sul de São Paulo. “Ela foi uma das entrevistadas em minha dissertação de mestrado sobre poetas dos saraus periféricos”.

“Fiquei muito feliz em participar dessa homenagem a Pilar para mantermos registrado sua passagem e importância dentro da nossa cultura e nossa literatura”, reflete Livia. “Pilar foi uma mulher guerreira e que superou diversas adversidades, um exemplo de resistência e alegria para todas nós, mulheres negras”, celebra.

Vida e obra de Tula

Em abril, chegou o comunicado da família de Tula dizendo que há uma semana Tula não se sentia bem, com falta de ar. Levada ao Pronto Socorro Dr. Akira Tada, em Taboão da Serra, Grande São Paulo, após passar mal, sofreu uma parada cardíaca e os médicos não conseguiram reanimá-la.

Tula Pilar nasceu em Leopoldina, Minas Gerais, em 1970. Mudou-se para São Paulo aos 19 anos e trabalhou como empregada doméstica em várias mansões da capital.

Tula foi vendedora da revista “Ocas” e é autora dos livros “Palavras Inacadêmicas”, produzido de forma independente em 2004, e “Sensualidade de fino trato”, publicado pelo selo do Sarau do Binho em 2017. Também teve participação em obras coletivas, como o “Negras de Lá, Negras Daqui”, lançado em fevereiro deste ano.

bannerhorizontal

Sobre o Alma Preta

O Alma Preta é uma agência de jornalismo especializado na temática racial do Brasil. Em nosso conteúdo você encontra reportagens, coberturas, colunas, análises, produções audiovisuais, ilustrações e divulgação de eventos da comunidade afro-brasileira. Nosso objetivo é construir um novo formato de gestão de processos, pessoas e recursos através do jornalismo qualificado e independente.

Contato

E-mail
jornalismoalmapreta(@)gmail.com

Mais Lidos