fbpx

A peça debate os rumos e estratégias pelo fim da discriminação racial, pensados pelos dois líderes

Texto / Lucas Veloso | Edição / Pedro Borges | Imagem / Julio Ricardo

Com texto de Jeff Stetson e direção de Isaac Bernat, “O Encontro – Malcolm X e Martin Luther King Jr”, narra um encontro fictício dos dois líderes pelos direitos civis nos EUA. em um hotel do Harlem.

As ideias e estratégias dos dois líderes contra a opressão e exclusão dos negros na sociedade são os pontos de partida do espetáculo, que estreia no dia 1º de agosto, às 21h, no Sesc Consolação.

Para o diretor, a montagem trata do racismo e discriminação, questões essenciais que impedem uma sociedade justa e igualitária. “As visões e as práticas de Malcolm e Martin têm muito a nos inspirar e ensinar neste momento onde a humanidade parece perdida e sem esperança. Aline Mohamad e eu estamos há anos tentando encená-lo e agora chegou a hora”, observa Isaac.

Apesar de terem vivido na mesma época, Malcom e Luther King fizeram diferentes trajetórias e só se encontraram durante poucos minutos, num rápido aperto de mãos. Os dois foram assassinados na década de 1960 e com a mesma idade: aos 39 anos.

“Nós, negros, ainda estamos em situações de muita desigualdade. Esse diagnóstico se tornou clichê, mas é uma realidade”, observa Izak Dahora, intérprete de Malcolm. “Ele era cerebral e estrategista e, ao mesmo tempo, instintivo e dono de uma intuição poderosa e uma força demolidora”, completa.

Rodrigo França, o Luther King Jr. na peça, acredita na importância da obra para discutir o racismo estrutural. “Embora seja um crime, ainda temos uma tendência de escamotear o racismo, que no Brasil mata, fere, exclui e enlouquece. Esta montagem é mais uma para tocar nessa ferida.

Nos EUA, a montagem recebeu vários prêmios, como oito Prêmios de Teatro da NAACP (1987); Prêmio para Dramaturgos Louis B. Mayer (1984); Prêmio Ohio State Achievement of Merit Award (1990), além de seis indicações para o Prêmio New York Audelco (1987).
Martin e Malcom.

Martin Luther King Jr. foi a pessoa mais jovem a receber o prêmio Nobel da Paz, aos 35 anos, em 1964. Quatro anos depois foi assassinado, em 4 de abril de 1968, em Memphis, no Tennessee. Doutor em Teologia pela Universidade de Boston e Pastor de uma igreja Batista de Montgomery, no Alabama, Dr King, como era chamado, assim como Mahatma Gandhi, pregou a não violência como forma de protesto contra a segregação racial.

Nascido numa família pobre na pequena cidade de Omaha, no Nebraska, Malcom X foi ladrão, agenciador de prostitutas e viciado em drogas antes de se tornar o líder de uma revolução mundial dos negros. Ele chegou a ser preso, e com o tempo passado por lá, estudou, e ao sair abandonou o crime, tornando-se um importante orador

Serviço | O Encontro – Malcolm X e Martin Luther King Jr
Temporada: 01 a 11 de agosto de 2019 | 5ª a Sábado - 21h / Domingo - 18h | Duração: 65 minutos | Classificação Etária – 12 anos | Teatro Anchieta – Sesc Consolação - R. Dr. Vila Nova, 245 – Vila Buarque | Tel.: (11) 3234-3000 | Ingressos - R$ 12,00 (trabalhador do comércio de bens, serviços e turismo matriculados no Sesc e dependentes/Credencial Plena) | R$ 20 (aposentado, pessoa com mais de 60 anos, pessoa com deficiência, estudante e servidor de escola pública com comprovante) | R$ 40,00 (inteira).

 O povo preto quer narrar suas histórias

Vivemos em um mundo de disputa. Nossa sociedade tem profundas marcas das desigualdades que foram desenhadas ao longo da história. Na atualidade parece que há espaço para debate, a tão falada representatividade está sobre a mesa.
Mas o povo preto quer mais. Queremos narrar nossas próprias histórias. Queremos ter direito de fala não somente quando essa é concedida. Somos múltiplos, somos muitos e plurais. A ótica de ser preto no Brasil se revela como um espectro, tamanha a diversidade dos povos ancestrais que nos originaram, e a variedade de experiências que podemos ter e ser. Pertencer. O que nos conecta é pele.

Apoie o Alma Preta e nos ajude a continuar contando todas essas histórias.

Vamos fazer jornalismo na raça!

Sobre o Alma Preta

O Alma Preta é uma agência de jornalismo especializado na temática racial do Brasil. Em nosso conteúdo você encontra reportagens, coberturas, colunas, análises, produções audiovisuais, ilustrações e divulgação de eventos da comunidade afro-brasileira. Nosso objetivo é construir um novo formato de gestão de processos, pessoas e recursos através do jornalismo qualificado e independente.

Contato

E-mail
jornalismoalmapreta(@)gmail.com