O psicólogo e pesquisador Lucas Veiga retorna a São Paulo, no dia 27 de abril, com um curso voltado para a chamada Psicologia Preta, que aborda a saúde mental da população negra

Texto / Solon Neto
Imagem / Reprodução

Tendo como direção responder à questão “como curar a negritude dos efeitos do racismo?”, o curso aborda as consequências da colonização na produção de conhecimento e na produção de subjetividade.

Abordando o diálogo com intelectuais negros do campo da saúde mental, como Frantz Fanon, Wade Nobles, Neusa Santos Souza, a expectativa é apontar caminhos para o tratamento dos impactos do racismo na subjetividade negra.

O curso tem como referência principal a Black Psychology, vertente da psicologia criada por psicólogos afro-americanos em meio a luta pelos direitos civis no final dos anos 1960/1970.

“Houve historicamente no Brasil um apagamento das produções de conhecimento negras. Pesquisadoras brasileiras como Virginia Bicudo e Neusa Santos Souza nunca foram incluídas nas referências bibliográficas da grande maioria das graduações em Psicologia do país”, denuncia o pesquisador Lucas Veiga.

Veiga é mestre pela Universidade Federal Fluminense (UFF) e tem levado sua pesquisa sobre questões raciais, anticoloniais e saúde mental da população negra a palestras e atividades em universidades Brasil afora. Desde o ano passado tem ministrado também cursos sobre o tema.

“Resgatar o trabalho dessas mulheres sobre saúde mental da população negra, bem como as produções de autores como Frantz Fanon, Wade Nobles e Naim Akbar é um ato de afirmação da importância do pensamento desses pesquisadores e, ao mesmo tempo, é um caminho para a criação de condições teórico-práticas para o tratamento dos impactos do racismo nas subjetividades negras”, explica.

Essa não é a primeira vez que o pesquisador carioca leva a temática para um encontro em São Paulo. Em agosto de 2018, o minicurso ‘Psicologia Preta’ foi realizado no Aparelha Luzia. Na ocasião, cerca de cem pessoas estiveram presentes e agora o curso retorna em formato estendido.

Na ocasião, o minicurso tratou a promoção de saúde mental por meio da tomada de consciência da problemática colonial/racial no Brasil. Com isso, por meio do resgate dos sentidos africanos, dicutiu o que significa ser humano.

Já na versão estendida, além de abarcar o conteúdo do minicurso, o encontro será um espaço voltado à formação para psicólogos e demais interessados para instrumentalizar, de forma teórica e prática, o cuidado da saúde mental da população negra.

Para se inscrever basta enviar um email com seus dados para Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo..

Serviço:

Introdução à Psicologia Preta

Data: Dia 27 de abril, sábado, das 9h as 18h.
Endereço: Rua Santanesia, 763 - Butantã, São Paulo.
Inscrições pelo email: Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.
Investimento: R$180,00

Sobre o Alma Preta

O Alma Preta é uma agência de jornalismo especializado na temática racial do Brasil. Em nosso conteúdo você encontra reportagens, coberturas, colunas, análises, produções audiovisuais, ilustrações e divulgação de eventos da comunidade afro-brasileira. Nosso objetivo é construir um novo formato de gestão de processos, pessoas e recursos através do jornalismo qualificado e independente.

Contato

E-mail
jornalismoalmapreta(@)gmail.com

Mais Lidos