O número de canais, sites e páginas comandados por negros que falam dos mais diversos assuntos é enorme e de extrema importância

Texto / Influência Negra

Imagem / Reprodução

Em pleno 2019 é praticamente impossível não associarmos a internet como parte quase que fundamental da nossa comunicação diária. Quem não assiste vídeos no YouTube? E quem não acompanha e acaba se inspirando em personalidades famosas no Instagram, não é mesmo?

Mas quantos desses canais que curtimos têm pessoas negras a frente? Qual é a cor predominante no feed do Instagram ou nas outras redes sociais que seguimos? O número de canais, sites e páginas comandados por negros que falam dos mais diversos assuntos é enorme e é de extrema importância que nós, enquanto comunidade ativa no universo online, estejamos presentes não somente para dar apoio aos nossos, mas também para termos a certeza de que estamos sendo representados e ocupando todos os espaços que temos direito.

Ainda não sabe quem acompanhar? Problema resolvido! Fizemos aqui uma lista com 15 canais que valem a pena clicar e compartilhar com os amigos.

1. A Tati Sacramento é jornalista, gastróloga, mãe e em seu canal aborda tema como saúde, beleza, bem-estar e empoderamento.

2. As jornalistas do Papo de Preta, Maristela Rosa e Natália Romualdo, falam sobre questões de gênero, raça e cultura pop.

3. Bel Oliveira, do canal BelQueSeQuis vive na Europa, onde estuda comunicação e fala de viagens a baixo custo, intercâmbio e história.

4. Isabela Reis viralizou com textos sobre feminismo e hoje fala sobre atualidades, relações raciais e de gênero em seu canal.

5. O canal Ficçomos, da escritora e cientista social Wlange Kehinde, traz resenhas sobre lançamentos literários e dicas de escrita para escritores iniciantes.

6. Jota Santos é fotógrafo e em seu canal fala sobre dreads, fotografia e lifestyle, mostrando também cenas alternativas da Baixada Fluminense.

7. Leandro Vicente, o LevviTalk, tem um canal útil e educativo que dá dicas de inglês, cultura e cotidiano.

8. Rosa Luz é rapper, artista, mulher trans e vive em Brasília. Ela leva discussões que misturam arte e representatividade LGBTQIA+ para seu vlog.

9. Valter Rege é cineasta e mostra um pouco de cultura pop com resenhas de filmes e séries, além de temas como negritude, homossexualidade e protagonismo periférico.

10. Érica Ribeiro, do canal Vai Trazend), usa seu espaço para resgatar a identidade negra através da beleza, autoestima e empoderamento, tudo isso com toques de humor.

11. Biel Braga, do Um Bipolar, é publicitário e lida com assuntos importantes como racismo e LGBTQfobia através do humor. Seu canal produz paródias e séries sobre situações do cotidiano e já passou de 1 milhão de inscritos.

12. Nathália Braga é jornalista e faz vídeos sobre relações de gênero, raça e entrevistas sempre com um elemento especial: o deboche

13. Caio César é pesquisador no campo das masculinidades, além de ser professor de geografia, palestrante e ministra workshops sobre o tema. Caio faz bastante sucesso no Twitter com threads sobre diversos assuntos, entre eles a negritude.

14. Na Rédea Curta é uma websérie que retrata a vida de Mainha e Júnior, mãe e filho que moram na periferia de Salvador.

15. Guardei no Armário é um canal criado pelo designer Samuel Gomes para retratar vivências de pessoas LGBTQIA+. O projeto nasceu com o livro que possui o mesmo nome, onde Samuel narra sua experiência como ex-evangélico e gay. 

bannerhorizontal

Sobre o Alma Preta

O Alma Preta é uma agência de jornalismo especializado na temática racial do Brasil. Em nosso conteúdo você encontra reportagens, coberturas, colunas, análises, produções audiovisuais, ilustrações e divulgação de eventos da comunidade afro-brasileira. Nosso objetivo é construir um novo formato de gestão de processos, pessoas e recursos através do jornalismo qualificado e independente.

Contato

E-mail
jornalismoalmapreta(@)gmail.com

Mais Lidos