A apresentação acontece na Grande São Paulo, às 16h, no Sesc São Caetano

Texto / Lucas Veloso | Edição / Pedro Borges | Imagens / Tide Gugliano 

Em 2015, um menino chamado Abou, refugiado negro de oito anos, foi encontrado dentro de uma mala de viagem tentando entrar ilegalmente em Ceuta, cidade espanhola que faz fronteira com o norte da África. Ele vinha da Costa do Marfim, no continente africano.

Baseada nesta história, surgiu a peça “Quando eu morrer, vou contar tudo a Deus”. Escrita por Maria Shu e encenada pelo grupo teatral ‘O Bonde’, a peça tem apresentação única neste sábado no Sesc São Caetano do Sul, Grande SP.

Na obra, o menino Abou imagina que sua mala se transforma na cachorra Ilê. A imaginação e curiosidade de Abou facilitam o plano de entrar no ‘planeta Europa’, como o continente é retratado na peça.

No palco, os atores Ailton Barros, Jhonny Salaberg, Filipe Ramos e Marina Esteves contam as aventuras do menino africano. A violonista Ana Paula Marcelino e o percussionista Anderson Sales são os responsáveis pela trilha sonora feita ao vivo, composta por tambores e violão.

O Bonde

Formado por artistas negros, "O Bonde" é um grupo que pesquisa a negritude nas artes. O coletivo busca investigar os ecos da diáspora, a partir das manifestações populares do povo negro em busca de construir um imaginário antirracista.

Refugiados no mundo

De acordo com dados do ACNUR, a agência da ONU para Refugiados, no mundo há 40 milhões de pessoas que estão sendo deslocadas internamente em seus países e 3,1 milhões são solicitantes de asilo em outros países.

Os números ainda apontam que o número de refugiados cresceu mais de 50% nos últimos 10 anos. Hoje, são 25,4 milhões em todo o mundo.

Serviço
Sábado, dia 07 às 16h | Teatro Santos Dumont
Avenida Goiás, 1111 - Santa Paula | Sesc São Caetano
Gratuito | Retirada de ingressos com 1h de antecedência no Local - limitado a 4 ingressos por pessoa.

bannerhorizontal

Sobre o Alma Preta

O Alma Preta é uma agência de jornalismo especializado na temática racial do Brasil. Em nosso conteúdo você encontra reportagens, coberturas, colunas, análises, produções audiovisuais, ilustrações e divulgação de eventos da comunidade afro-brasileira. Nosso objetivo é construir um novo formato de gestão de processos, pessoas e recursos através do jornalismo qualificado e independente.

Contato

E-mail
jornalismoalmapreta(@)gmail.com

Mais Lidos