fbpx

Seleção verde e amarela é a predileta de continente, que ficou sem representantes nas oitavas de final do mundial disputado na Rússia; equipe do Guia Negro destacou as respostas mais emblemáticas

Texto / Guilherme Soares Dias, do Guia Negro
Imagem / Getty Images

A gente vibrou com a alegria da seleção senegalesa, se emocionou e se apaixonou pelo único técnico negro da Copa, Aliou Cissé; amou os trajes da seleção da Nigéria e a chegada deles na Rússia e se apaixonou novamente. Mas não teve jeito: nenhum time africano passou para as oitavas de final. Sem um representante do continente, você sabia que muitos africanos torcem e vibram com as vitórias do Brasil - isso desde a primeira fase. Veja a seguir alguns comentários sobre o porquê. São respostas a uma provocação no Twitter do site Africasa Country, que pergunta justamente por que os africanos torcem para o Brasil na Copa. Confira:

Fiona Lortan @Fifistep (Etiópia)

O censo mais recente mostra que quase 100 milhões de brasileiros se consideram negros. Tem de longe a maior população da diáspora africana. Eles são nós, então celebramos suas vitórias como as nossas.

Mussie Sibhatu @1People1Heart (Eritreia)

Uma palavra: Pelé.

Laleh Khalili @LalehKhalili

Sócrates.

Africasa Country @africasacountry

Segunda: Sócrates.

Ahmed Yussuf @ahmedyussuf10 (Turquia)

Provavelmente, não é a pessoa que você está procurando para responder isso, mas não é porque eles são multiétnicos? Eles são muito fáceis de identificar também. Eles quebram todos os estereótipos que cercam os jogadores pretos e pardos.

Nadir @nadirhirji

Não, cara, é porque eles fazem o futebol parecer dança.

Honestamente, o Brasil faz o futebol bonito. Eu não conheço nenhum time europeu que jogue assim - mesmo Gana, em 2014. O futebol deles tinha esse ritmo que transformou em um prazer vê-los jogar. O Brasil é um exemplo do terceiro mundo educando a Europa em algo que este último inventou.

Ripunjay || ರಿಪುಂಜಯ @ripunjayacharya (Alemanha)

Eu acho que ninguém mais do que Marcelo, sua linda cabeça saltando quando ele se agita e passa pela oposição, como se a dança fosse o ponto de tudo e a bola aparecesse apenas como uma reflexão tardia. Hoje, vi os valentes heróis das favelas (onipresentes no Sul) triunfarem contra tudo, contra o vilão árbitro europeu / vice-rei colonial.

Jcniala @jcniala (Inglaterra)

Porque o Brasil é o país com o maior número de africanos fora do continente … Bahia! Salvador!

Brad Brockman @BrockmanBrad (África do Sul)

Primeiro apoiei o Brasil aos 8 anos, durante a Copa do Mundo de 1994. Romário, Bebeto – uma equipe que se parecia comigo e venceu. Senti da mesma forma sobre a França durante Zidane - era Thuram.

Femi aka W.E.B. Du Bars @FemisMusic (EUA)

Por que eles não deveriam ser? Tem a maior população negra de qualquer outro país que não a Nigéria #PanAfricanismo #atodadiaspora

INTL BLK™ @intlblk

Eu estava pensando que o Brasil é, provavelmente, o único modelo para as associações nacionais africanas melhorarem. Existe um caminho até lá. No entanto, precisamos de mais Sul-Sul, menos exportação de matéria-prima orientada para o mercado, menos corrupção e mais disciplina. Sankara FC, se você quiser.

Mumba @Bwalya_II (África do Sul)

Falando como um sul-africano, muitos deles se parecem conosco e dançam como nós. O parentesco é enorme e começou com Pelé.

Busi @Busiswa (África do Sul)

Eles também se comportam como nós. Bom e mau.

Chris Bolsmann @ChrisBolsmann (África do Sul)

No entanto, um olhar sobre os torcedores brasileiros nos jogos da Copa do Mundo e em 2014: muitos, senão a maioria, eram brancos. A questão é que precisamos ter cuidado ao celebrar uma equipe “não-racial / negra” quando há sérios problemas de racismo no Brasil.

Albeyzo @albert_mwamburi (Quênia)

Eles representam o triunfo sobre a pobreza e a luta. Os enredos da maioria na formação do Brasil são geralmente são histórias de trapos para ricos. O Brasil é, geralmente, um time com o qual o homem comum pode se relacionar e eles nos fazem sonhar.

Redrabbit @mwarr

Porque não é a Europa

Marloninho Seleção @marlonmusique

Joga Bonito … Isso não quer dizer que não estamos felizes quando os países da África jogam bem, mas o apoio do futebol é, geralmente, socializado. E o Brasil está carregando a bandeira deste lado há décadas. Durante anos, é a única equipe majoritariamente negra/parda que causou danos no cenário mundial

V4 @YoungNairobian (Quênia)

Mais escravos africanos foram traficados para o Brasil do que para os EUA durante o comércio de escravos do Atlântico. Sabendo que alguns dos jogadores são descendentes. Eu sinto um certo parentesco como um africano.

Hassan Cheema @mediagag (Paquistão)

Equipe multirracial do Sul global. Tornou-se quem eles são no final dos anos 1950 e 1960 – um momento bastante importante para a política racial – e fez tudo com estilo. De longe, a equipe mais popular no sul, por exemplo.

Mustapha a dawodu @alimusitapha (Nigéria)

Para mim, como para muitos nigerianos de algumas gerações, foi o vídeo “Gigantes do Brasil”. Vi isso quando criança e fui seduzido pelo poderoso mito. Aquelas camisas douradas…

Vivek Menezes @vmingoa (Índia)

Eles parecem se divertir, não fazendo guerra.

E os brasileiros?

Enquanto na Rússia, durante os jogos do Brasil, alguns africanos comemoravam gols da seleção verde e amarela como se fossem do país deles, muitos brasileiros torciam o nariz por aqui. O mundo gosta mais do Brasil do que os brasileiros. Essa é uma constatação à qual cheguei depois de rodar países dos cinco continentes.

No Marrocos e Egito, o assunto futebol foi mais presente do que em outros países quando as pessoas descobriam que eu era brasileiro. Mas sempre que falava do Brasil, as pessoas sorriam e diziam coisas boas.

Enquanto isso, nós temos nossos complexos de vira-lata e sabemos melhor das nossas realidades, que não é apenas de ser um país com maioria negra, nem muito menos uma “democracia racial” como se imagina. Então, houve os brasileiros que alertaram:

Diego Lopez @djegovsky (Brasil)

Essa torcida é baseada em um estereótipo otimista (mas falso). Os brasileiros são (em média) muito conservadores, racistas e xenofóbicos. Os jogadores, em geral, são simpatizantes da direita. Os brasileiros nem gostam de pensar como latino-americanos ou pessoas do terceiro mundo

Mas houve também os que se emocionaram com o apoio dos africanos:

Menino Gabriel Jesus Louback‏ @GabrieLouback (brasileiro que mora na Itália)

Você não tem ideia do impacto de ler isso durante a Copa do Mundo. O primeiro jogo contra a Suíça, sofrendo no último (jogo), o fantasma do 7×1 ao virar da esquina, como podemos enfrentá-los na próxima fase. Obrigado. Isso realmente trouxe boas coisas para o meu coração.

Mile jedinak @xurubux (brasileiro que mora nos EUA)

Eu estava prestes a dizer a mesma coisa. Como um brasileiro, isso aquece meu coração ao perceber que é assim que vocês nos veem não apenas como um time, mas como um país. Muito obrigado por isso

Menino Gabriel Jesus Louback‏ @GabrieLouback (brasileiro que mora na Itália)

Sim, uma equipe e um país com os quais as pessoas podem se relacionar. Nós temos o “complexo de cachorro vira-lata” tão incutido que eu sempre penso que as pessoas não gostam de nós, especialmente como um time (5 Copas do Mundo, etc). Isso realmente aquece nossos corações.

Eric Silva Brenneman #HexaBrasil @silvaculture

A resposta mais simples é [que] sem a África, não há Brasil. Jogadores / estilo de jogo, linguagem, música, dança, comida, história, cultura em geral. Nós ainda combatemos o racismo e o fascismo, mas nós somos o quilombo vivo.

Veja todas as respostas aqui.

 O povo preto quer narrar suas histórias

Vivemos em um mundo de disputa. Nossa sociedade tem profundas marcas das desigualdades que foram desenhadas ao longo da história. Na atualidade parece que há espaço para debate, a tão falada representatividade está sobre a mesa.
Mas o povo preto quer mais. Queremos narrar nossas próprias histórias. Queremos ter direito de fala não somente quando essa é concedida. Somos múltiplos, somos muitos e plurais. A ótica de ser preto no Brasil se revela como um espectro, tamanha a diversidade dos povos ancestrais que nos originaram, e a variedade de experiências que podemos ter e ser. Pertencer. O que nos conecta é pele.

Apoie o Alma Preta e nos ajude a continuar contando todas essas histórias.

Vamos fazer jornalismo na raça!

Sobre o Alma Preta

O Alma Preta é uma agência de jornalismo especializado na temática racial do Brasil. Em nosso conteúdo você encontra reportagens, coberturas, colunas, análises, produções audiovisuais, ilustrações e divulgação de eventos da comunidade afro-brasileira. Nosso objetivo é construir um novo formato de gestão de processos, pessoas e recursos através do jornalismo qualificado e independente.

Contato

E-mail
jornalismoalmapreta(@)gmail.com