fbpx

Artista reuniu amigos de vários grupos para ajudar na campanha de prevenção ao vírus, que se espalha rapidamente no país do continente africano

Texto: Juca Guimarães I Edição: Nataly Simões I Imagem: Lusa

Diante do avanço da pandemia da Covid-19, o novo coronavírus, em Moçambique, o músico Bob Mahuaie, de 45 anos, compôs uma canção para conscientizar a população sobre a doença. A música conta com a participação de outros artistas do país do continente africano, como a orquestra Timbila Muzimba e o grupo Timbila ta Gwevane. “Não tínhamos outra coisa para contribuir com o povo em geral, senão via música”, diz Mahuaie.

Lançada em junho, a canção “Coronavírus”, disponibilizada no Facebook, foi gravada de forma independente e já se tornou bastante popular no país. Mahuaie tem aproveitado as entrevistas nas rádios para falar sobre a rotina de prevenção ao vírus.

“Agora estamos nos mobilizando para conseguir gravar um videoclipe da música a fim de levar a mensagem para mais pessoas”, conta o músico. O projeto ganhou o nome de Timbila Tathu, expressão que significa “nossas timbilas”. Um instrumento tradicional da cultura Chope, semelhante ao xilofone, e que dá nome também a uma dança moçambicana.

bomusicosmocambiquecorpotexto

(Foto: Acervo Pessoal)

Bob Mahuaie começou a tocar percussão aos seis anos, na Vila Quissico, no distrito de Zavala, região litorânea de Moçambique. O músico também fabrica instrumentos e dá aula de danças tradicionais da cultura Chope. Em 2007, Mahuaie criou o grupo Timbila ta Gwevane, na capital Maputo. Juntos, os integrantes já fizeram shows em vários países.

A banda que se reuniu para gravar a canção “Coronavírus” é formada por Bob Mahuaie, Nelson Beleque, Estevao junior, Elias Mavique e Dorval Mahuaie (da Timbila ta Gwevane); Lucas Macuacua e Celso Durão (da orquestra Timbila Muzimba); Simão Nhacule e Amos lamossene (da Banda Silita); e Rolando Lamossene, Txiga Banda, Pascul Bulule (do grupo Mzeno).

Moçambique registrou 987 casos de Covid-19 e seis mortes até o dia 5 de julho. A preocupação, no entanto, é com a taxa de propagação da doença. Em junho, por exemplo, o país passou de 35º para 20º lugar entre as nações com maior taxa de propagação. Os casos duplicavam a cada 13 dias, enquanto a taxa média mundial era de 35 dias, de acordo com a Organização Mundial de Saúde(OMS) e o Ministério da Saúde de Moçambique.

bannerhorizontal

Sobre o Alma Preta

O Alma Preta é uma agência de jornalismo especializado na temática racial do Brasil. Em nosso conteúdo você encontra reportagens, coberturas, colunas, análises, produções audiovisuais, ilustrações e divulgação de eventos da comunidade afro-brasileira. Nosso objetivo é construir um novo formato de gestão de processos, pessoas e recursos através do jornalismo qualificado e independente.

Contato

E-mail
jornalismoalmapreta(@)gmail.com