fbpx

Com a confirmação, todos os países da África estão afetados pela pandemia. Lesoto tem todas as fronteiras dentro da África do Sul, o país mais infectado do continente

Texto / Beatriz Mazzei I Edição / Pedro Borges I Imagem

Lesoto registou na quarta-feira (13) o primeiro caso de Covid-19. A informação foi confirmada pelo Centro de Comando Nacional de Emergência (NECC) do país, que revelou que a pessoa infectada veio do Oriente Médio e que por enquanto não apresenta sintomas ou problemas de saúde.

Em comunicado oficial, o Ministério da Saúde aponta que o resultado positivo foi reconhecido 12 de maio, após o teste com um grupo de 81 pessoas vindas da África do Sul e da Arábia Saudita.

Com 2 milhões de habitantes, Lesoto é um enclave que está no meio do território da África do Sul, o país africano mais infectado pelo Covid-19, com 11350 casos positivos e 206 mortes.

Até a confirmação do caso, Lesoto era o único país Africano sem registros de Covid-19. A falta de testes, porém, é um fator de incerteza sobre o controle da doença no território, que só fez 597 exames com a ajuda de laboratórios sul-africanos.

O país havia bloqueado suas fronteiras no final de março para evitar a disseminação do vírus. Contudo, há uma semana, o governo local afrouxou as restrições e permitiu que "todos os serviços e empresas não essenciais" abrissem temporariamente.

Novos casos na África do Sul

O quinto país mais populoso do continente africano, com cerca de 57 milhões de habitantes, superou os 10.000 casos de coronavírus, presenciando um aumento no número de caso nos últimos dias. Em 10 de maio, o Ministério da Saúde confirmou 595 novos casos em 24 horas.

Desde 27 de março o país está em lockdown com fronteiras fechadas e circulação restrita à produção ou obtenção de serviços e bens essenciais. Até ao momento, o Governo já realizou mais de 350 mil testes.

OMS alerta para o aumento da disseminação no Continente

Em menos de uma semana, a África contou com um salto de quase 20 mil casos confirmados de Covid-19. Em 7 de maio, segundo dados da Universidade Johns Hopkins, nos Estados Unidos, havia 51 mil casos confirmados e 2.011 mortes. De acordo com levantamento oficial do dia 13 de maio, a África registra 70 mil infectados e o número de mortos chega a 2.406.

A agência da ONU advertiu que, se não forem tomadas medidas adequadas, as mortes causadas pelo coronavírus na África poderão variar entre 83 mil e 190 mil.

Fontes: Afro WHO, Agência EFE, Agência France-Presse

bannerhorizontal

Sobre o Alma Preta

O Alma Preta é uma agência de jornalismo especializado na temática racial do Brasil. Em nosso conteúdo você encontra reportagens, coberturas, colunas, análises, produções audiovisuais, ilustrações e divulgação de eventos da comunidade afro-brasileira. Nosso objetivo é construir um novo formato de gestão de processos, pessoas e recursos através do jornalismo qualificado e independente.

Contato

E-mail
jornalismoalmapreta(@)gmail.com