fbpx

Com 35 vagas para cada turma, as formações abordam temas como captação de recursos, comunicação, relacionamento com poder público, produção artística, dimensão técnica da bateria, entre outros

Texto / Redação
Imagem / Divulgação
Edição / Simone Freire

O Carnaval da Quebrada, programa de fomento à cultura do carnaval de rua nas periferias de São Paulo, está com inscrições abertas para o curso “Quero botar meu bloco na rua”.

A iniciativa é focada em oferecer encontros de formação gratuitos para agentes que fortalecem a cultura do carnaval nos territórios periféricos da cidade de São Paulo.

A ação acontece por meio do Programa Municipal de Apoio a Projetos Culturais – Pro-Mac, da Secretaria Municipal de Cultura da Cidade de São Paulo (SP), com patrocínio Nextel.

Desde abril, o Carnaval Na Quebrada vem realizando intercâmbios em espaços culturais independentes nas periferias, provocando o encontro de representantes de blocos de carnaval com diferentes trajetórias e experiências profissionais. Ainda no mesmo mês, o projeto realizou a primeira edição do curso “Quero botar meu bloco na rua”, que tem três edições ao todo.

No mês de maio, serão realizadas mais duas edições para contemplar a participação de coletivos, artistas independentes, produtores culturais e grupos que movimentam o carnaval de rua na cidade.

Ao todo são 70 vagas, sendo 35 para cada turma. Os encontros da segunda turma acontecem durante os dias 8, 9 e 10 de maio, das 18h às 21h. Já as formações da terceira turma serão realizadas durante os dias 15, 16 e 17 de maio, no mesmo horário. As inscrições para participar dos cursos de Introdução ao Carnaval de Rua, Planejamento e Recursos e Imagem, estarão abertas até o dia 5 de maio.

A Pipoca, plataforma de experiências culturais para pessoas e para a cidade, criou o Carnaval Na Quebrada com o objetivo de apoiar ações que movimentam territórios e mobilizam moradores para usufruir de momentos de alegrias nas regiões mais afastadas do centro expandido.

“O curso possui uma dimensão estratégica que é oferecer aos agentes culturais a possibilidade de aprimorar os conhecimentos que ele já consolidou ao longo da sua trajetória, a fim de tornar suas ações na comunidade ainda mais impactantes tanto na gestão do bloco, como no relacionamento com apoiadores, moradores e poder público”, explica o produtor cultural Rogério Oliveira, colaborador da Pipoca e um dos facilitadores do curso.

Para o processo de seleção, os interessados em participar do curso “Quero botar meu bloco na rua” devem acessar o formulário de inscrição clicando nos números das turmas 2 e 3, escolhendo assim as datas que possuem disponibilidade para acessar as formações.

“Além do apoio financeiro que destinamos aos blocos de rua nas periferias, nós compreendemos que outro recurso fundamental é a produção de conhecimento sobre a cena cultural do carnaval da cidade, por isso, estamos realizando intercâmbios culturais e formações, para viabilizar essa troca de vivências e aprendizados”, finaliza o produtor cultural.

Serviço
Carnaval da Quebrada – Curso “Quero botar meu bloco na rua”
Turma 1: 8, 9 e 10 de maio
Inscrições: https://forms.gle/Po45wPVysH5NsqAH8
Turma 2: 15, 16 e 17 de maio
Inscrições: https://forms.gle/z5AdMVe8pUYM9CQu9
Mais informações: Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.

 O povo preto quer narrar suas histórias

Vivemos em um mundo de disputa. Nossa sociedade tem profundas marcas das desigualdades que foram desenhadas ao longo da história. Na atualidade parece que há espaço para debate, a tão falada representatividade está sobre a mesa.
Mas o povo preto quer mais. Queremos narrar nossas próprias histórias. Queremos ter direito de fala não somente quando essa é concedida. Somos múltiplos, somos muitos e plurais. A ótica de ser preto no Brasil se revela como um espectro, tamanha a diversidade dos povos ancestrais que nos originaram, e a variedade de experiências que podemos ter e ser. Pertencer. O que nos conecta é pele.

Apoie o Alma Preta e nos ajude a continuar contando todas essas histórias.

Vamos fazer jornalismo na raça!

Sobre o Alma Preta

O Alma Preta é uma agência de jornalismo especializado na temática racial do Brasil. Em nosso conteúdo você encontra reportagens, coberturas, colunas, análises, produções audiovisuais, ilustrações e divulgação de eventos da comunidade afro-brasileira. Nosso objetivo é construir um novo formato de gestão de processos, pessoas e recursos através do jornalismo qualificado e independente.

Contato

E-mail
jornalismoalmapreta(@)gmail.com