De volta às suas raízes, em um caminho de valorização às origens, Nego Álvaro e Mart’nália participam de roda de samba no bairro Irajá, no Rio de Janeiro.

Texto / Divulgação
Imagem / Reprodução

Roda do Nego Álvaro recebe a participação especial de Mart’nália – Com trajetórias diferentes, o conceito e as razões, fazem o elo entre esses dois expoentes da música preta, para um grande encontro: uma roda de samba só com bambas e o bairro do Irajá é a estrela, neste sábado, 19 de agosto.

O objetivo é levar o samba de Nego Álvaro à Zona Norte, área que é referência para o músico - onde começou a carreira - e para Mart'nália - local em que a cantora fez sucesso na pela da personagem Tamanco no seriado Pé na Cova da TV Globo.

Com a ideia de fazer notáveis encontros, Álvaro já pensa em nova data e já articula outros convidados. Além da roda de samba, acontece ainda uma feirinha com comidas dentro do Bohêmios de Irajá, com churrasquinho, caldos, moelas, jiló e outros.

“Uma roda de samba com a pegada de subúrbio, sempre com um convidando, alguém que já fez parte da minha carreira em algum momento, algum sambista que seja referência para o Irajá e mediações”, sentencia Nego Álvaro.

E ainda afirma: “a gente conversou muito e quer descortinar os valores que o Irajá tem para o samba, bairro citado em algumas músicas, bairro onde Zeca se formou sambista, bairro que teve uma das todas de samba que marcou uma geração de fazer samba em quintal que era o pagode da Tia Ciça”.

Nego Álvaro é cantor, compositor e percussionista, e foi em Irajá que começou a atuar profissionalmente na música aos 15 anos de idade, no Pagode da Tia Ciça, de 2004 a 2006, roda frequentada por grandes figuras do samba. Ele foi abençoado pelas sombras da “Tamarineira” mais famosa do Brasil, começou em 2008 e tocou por 5 anos no Cacique de Ramos, roda de samba que era comandada por Bira Presidente e Renatinho Partideiro.

Passou ainda por diversas rodas de samba conhecidas do público carioca, tais como: "Clube do Cozido", em 2008, que era mais conhecido como "Cozido do Zeca", Canto do Batuqueiro, Beco do Rato, Samba Luzia, Mafuá no Quintal, entre outros.

Mas foi no Samba do Trabalhador, a partir de 2010, que surgiu o cantor, até então Álvaro Santos, quando interpretou pela primeira vez a música "Estranhou O Quê?", no 2º DVD/CD" Moacyr Luz e Samba do Trabalhador ao Vivo no Renascença". Participa ainda com "Eu Só Quero Beber Água" com Moa e Gabriel, e "Cabô Meu Pai" com o grupo todo. CD e DVD, lançados em 2013.

Despertou interesse em Moacyr Luz em fazer um CD solo de Nego Álvaro, apelido carinhoso que o próprio “Moa” colocou. Moacyr chamou Pretinho da Serrinha para produzir o disco "Cria do Samba”, que também conta com as participações de Sereno e Mart'nalia. O trabalho tem com arranjos de Rildo Hora, Carlinhos 7 Cordas, Pretinho da Serrinha, Rafael dos Anjos e Thiago da Serrinha.

“O disco é um pouco do que eu sou, passeio pelo autêntico samba, vou ao samba rock e finalizo fazendo uma homenagem ao Rio de Janeiro, falando dos lugares que quase nunca são citados nos cartões postais da cidade, mas que talvez sejam bem mais cariocas”, desabafa o músico.

Álvaro é músico da rainha do samba Beth Carvalho, tem ainda outros parceiros de música, como Moacyr Luz, Marcelinho Moreira, Pretinho da Serrinha, Sereno do Fundo de Quintal, Leandro Fab, João Martins e Gabrielzinho de Irajá. Como instrumentista já acompanhou, Zeca Pagodinho, Fundo de Quintal, Zélia Duncan, Dona Ivone Lara, Arlindo Cruz, Caetano Veloso, Mariene de Castro, Baby do Brasil, Jorge Ben Jor, Dudu Nobre, Xande de Pilares, Jorge Aragão, Maria Rita, Adriana Calcanhoto, Ney Matogrosso, Teresa Cristina, entre outros.

E já deixa um legado, o termômetro é a sua música: “Estranhou o quê??? preto pode ter o mesmo que você...!", indelével, virou um hit nas rodas de samba. Essa e as músicas “Chuva no Sertão”, “Pra Te Encontrar”, “Nascente da Paz”, “Ainda é Tempo Pra Ser Feliz”, entre outras fazem parte do repertório.

O show conta com Leandro Pereira no cavaquinho, Hudson Santos comanda o violão, Samuel de Oliveira​ no sopro, Jorge Quininho cuidará do surdo e tamborim, Júlio Oliveira na caixa e tantã, Jorge Alexandre no pandeiro e Gudy Rezende  na percussão. Thiaguinho da Serrinha, no cavaquinho, Arthur Santos, no pandeiro 2 e Leandro Pereira, no violão 6 cordas e regência, completam a banda. A produção do evento fica a cargo da "Cria Produções", de Nego Álvaro e Diogo Rodrigues.

Serviço

​Dia 19/08/2017, sábado​
Local: Quadra do Bohêmios de Irajá
Endereço: Avenida Monsenhor Felix, 464 - Irajá- Rio de Janeiro-RJ
​Abertura da casa: 16h30 / show às 17h30
Faixa etária livre ​
Antecipado, por R$ 20,00 - primeiro lote / R$ 25,00 – segundo lote
Informações - Tel.: 021 982826435
Capacidade da quadra 1500 pessoas

Sobre o Alma Preta

O Alma Preta é uma agência de jornalismo especializado na temática racial do Brasil. Em nosso conteúdo você encontra reportagens, coberturas, colunas, análises, produções audiovisuais, ilustrações e divulgação de eventos da comunidade afro-brasileira. Nosso objetivo é construir um novo formato de gestão de processos, pessoas e recursos através do jornalismo qualificado e independente.

Onde Estamos

Endereços e Contatos
18-80. Jd Nasralla - Cep: 17012-140
Bauru - São Paulo
contato(@)almapreta.com

Mais Lidos