Curso do projeto "Aprender com África" acontecerá no bairro da Vila Madalena, entre os dias 23 e 26 de Maio

Texto /
Divulgação

Imagens / Divulgação

A construção contemporânea do conhecimento sem África é uma impossibilidade. A história das sociedades que viveram e participaram de diferentes conexões ao longo do tempo é indispensável para que possamos pensar novas possibilidades de conteúdos e visões acerca do processo de ensino-aprendizagem de História.

Estes são os objetivos do Projeto Aprender com África, que realiza também uma importante investigação acerca da presença de homens e mulheres negras nos grandes veículos de mídia e de que formas uma participação tímida contribui para a manutenção das estruturas exclusivas, violentas e racistas contra a população afrodescendente brasileira. Ainda no campo da comunicação, o conteúdo apresenta alternativas para a construção de um jornalismo democrático e que represente as reivindicações da comunidade negra, além de passar por alguns nomes da imprensa moderna africana, contribuindo assim para a apresentação do lado inovador e sem estereótipos de África.

Com o curso pretende-se, com uma abordagem honesta, apresentar o presente e o passado em diálogo, percorrendo as trajetórias sociais em África, elencando um conteúdo palatável para professores e professoras do Ensino Básico. O que se busca é abordar conteúdos enquanto ferramentas a serem trabalhadas em sala de aula na Educação Básica, formando professores e introduzindo em suas práticas conceitos-chaves acerca da história das Áfricas, visando à promoção de novos conhecimentos, às críticas aos lugares que a África ocupa nas escolas e na sociedade, além de disseminar problemáticas não factuais na busca de uma história que incita o questionamento, o debate e a construção dialógica do conhecimento.

Conheça os professores do curso:

Rosa Couto

Rosa Couto é educadora com processo de Doutorado em curso na Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho – UNESP, com o projeto “Benedito João dos Santos Silva Beleléu, vulgo Nego Dito: afromusicalidade e máscara marginal na obra de Itamar Assumpção (1980-2003).”
Rosa trabalha há alguns anos na área da educação voltada aos ensinos de África e culturas afro-brasileiras no país. Já realizou entrevistas sobre o tema, possui como experiência a formulação de um livro para aplicação de atividades em sala de aula; além de já ter sido professora da rede estadual de ensino do Estado de São Paulo durante alguns anos.

Moisés Corrêa, Rosa Couto, Antonio Carlos e Kauê Vieira: Professores do projeto "Aprender com África". (FOTO: Divulgação)

Moisés Corrêa

Moisés Corrêa é integrante do Programa de Pós-Graduação em História Social da Universidade Federal Fluminense, desenvolvendo um projeto com tema relacionado à historiografia acerca da história da África na contemporaneidade.
Moisés é pesquisador no tema há pelo menos cinco anos, tempo em que conjuga seus interesses educativos com a produção cultural relacionada às diferentes manifestações artísticas do continente africano e também da cultura afro-brasileira. Já participou da produção de grandes eventos relacionados à história da África; além de ter realizado oficinas e atividades para o público infanto-juvenil em escolas da rede pública no país.

Kauê Vieira

Jornalista graduado pela Universidade Anhembi Morumbi de São Paulo. Com quase 10 anos de atuação profissional, transita por diversas editorias, tendo trabalhado e colaborado com alguns dos principais veículos de comunicação do Brasil, como o Portal Terra, IBOPE e a Revista Fórum. Nos últimos quatro anos vem se dedicando a pesquisa e produção de reportagens sobre a cultura afro-brasileira e africana contemporânea no Coletivo Afreaka, na Revista O Menelick 2 Ato e no site de Lagos Art News Africa, acumulando 200 escritos entre artigos e entrevistas sobre o assunto.

Antonio Carlos

Antonio Carlos se formou em Administração e desde então se lançou ao desenvolvimento de projetos que visassem o desenvolvimento social.
Atua há algum tempo junto com o Aprender com África, desenvolvendo práticas e organização nos trabalhos do terceiro setor.

Serviço:

Quando: de 23 a 26 de maio
Horários: das 19h às 22h
Local/Endereço: Instituto Casa da Cidade / Rua Rodésia, 328 - Vila Madalena/SP
Investimento:
Para professores: R$ 130,00
Para público-geral: R$ 180,00
Forma de pagamento:
As vagas serão preenchidas mediante o pagamento à vista ou da 1ª parcela (50%) e envio do comprovante via email. A segunda parcela deve ser paga no primeiro dia de aula.
Informações e inscrições?
E-mail: ensinarcomafrica@gmail.com


Sobre o Alma Preta

O Alma Preta é uma agência de jornalismo especializado na temática racial do Brasil. Em nosso conteúdo você encontra reportagens, coberturas, colunas, análises, produções audiovisuais, ilustrações e divulgação de eventos da comunidade afro-brasileira. Nosso objetivo é construir um novo formato de gestão de processos, pessoas e recursos através do jornalismo qualificado e independente.

Onde Estamos

Endereços e Contatos
18-80. Jd Nasralla - Cep: 17012-140
Bauru - São Paulo
contato(@)almapreta.com

Mais Lidos