Com curadoria de Andrea Mendes, a exposição conta história dos mais de 30 anos do Movimento Hip Hop na região de Campinas. Mostra acontece no Museu da Imagem e do Som de Campinas.

Texto / Thalyta Martina
Imagem / Divulgação
Edição de Imagem / Pedro Borges

O Museu da Imagem e do Som de Campinas inaugura a exposição “Memórias Históricas do Hip Hop Interior 019” no próximo dia 8. Dedicada exclusivamente a contar a história do Movimento Hip Hop na Região de Campinas, o evento começa às 19h na Rua Regente Feijó, 859 - Centro. A mostra é gratuita, tem classificação livre e segue em Campinas até 20 de Abril.

A exibição traz um panorama histórico do Movimento Hip Hop do Interior DDD 019. A partir dos depoimentos, é possível conhecer como os precursores da cena na cidade contribuíram, seja por meio da doação de materiais ou no trabalho voluntário, a preservar a trajetória de mais de 30 anos do movimento no município.

banner textos assinaturas

O hip hop é considerado um movimento artístico, configurado como espaço de reflexão e transformação social. Por meio de suas manifestações artísticas e culturais, o movimento Hip-Hop surge como um direito às comunidades pobres e negras de voz, de ser ouvido, e de se comunicar através da dança, da música e das artes visuais. Uma cultura urbana nascida às margens de uma sociedade excludente, mas que persiste em suas lutas sociais e desperta a consciência cidadã de seus adeptos e simpatizantes revolucionando pensamentos e atitudes.

A curadoria é de Andrea Mendes, militante do movimento negro em Campinas e com experiências relevantes quando se fala em artes visuais. Ela foi curadora da Exposição “Pretitudes” em 2016, dentro da Semana de Audiovisual no Museu da Imagem e do Som de Campinas, também foi mediadora cultural no SESI Campinas em exposições importantes como: Dalí, a Divina Comédia do Artista Salvador Dalí; Cartografias Visuais de Liam Porisse, Lágrimas de São Pedro, do artista Vinicius S/A, dentre outras.
Andrea Mendes propõe uma inscrição duradoura no tempo, a fixar os acontecimentos pela narrativa oral, escrita, material e imaterial, a dotá-lo de permanência no plano da coerência de um enredo e da atribuição de significados.

Neste sentido, a curadora desenvolveu uma expografia contemporânea composta por três ambientes: “Os atores”, que homenageia personagens do movimento na região de Campinas; “O Baile” que remete aos antigos bailes, com a utilização de músicas da primeira geração do movimento; e, por fim, “A História que Guardei”, em que a artista expõe fotos, documentos, matérias de jornais, revistas, zines, roupas e equipamentos utilizados na época.

Serviço

Museu da Imagem e do Som - Exposição Memórias Históricas do Hip Hop Interior 019
Linguagens: Audiovisual, fotografias, instalação e peças diversas
Curadoria: Andrea Mendes
Livre para todos os públicos
Local: Museu da Imagem e do Som de Campinas
Rua Regente Feijó, 859 - Centro, Campinas - SP, 13013-051
Período expositivo: de 08 de Abril a 20 de abril de 2017 – de Terça a Sábado, das 9h às 18h
Informações e agendamento para visitas educativas:
Telefone: 99261-5979 I exposicaohiphopinterior@gmail.com
Realização: Proac e Governo do Estado de São Paulo
Entrada gratuita

Sobre o Alma Preta

O Alma Preta é uma agência de jornalismo especializado na temática racial do Brasil. Em nosso conteúdo você encontra reportagens, coberturas, colunas, análises, produções audiovisuais, ilustrações e divulgação de eventos da comunidade afro-brasileira. Nosso objetivo é construir um novo formato de gestão de processos, pessoas e recursos através do jornalismo qualificado e independente.

Onde Estamos

Endereços e Contatos
18-80. Jd Nasralla - Cep: 17012-140
Bauru - São Paulo
contato(@)almapreta.com

Mais Lidos

Cron Job Iniciado