Protesto acontece depois da reunião do Conselho de Graduação (COG) da USP, que negou o pedido do movimento negro e indígena por cotas raciais e decidiu por critérios sociais para o vestibular da universidade.

Texto e foto / Pedro Borges

Manifestantes organizam protesto por cotas raciais na Universidade de São Paulo (USP) nesta segunda-feira, 3 de Julho, a partir das 18h, no MASP, Avenida Paulista. O ato é articulado pelos grupos, Por que a USP não tem cotas?, Movimento Levante Indígena na USP, Núcleo de Consciência Negra e Diretório Central Estudantil Livre da USP.

O protesto é uma resposta à última reunião do Conselho de Graduação (COG), quarta-feira, 28 de Junho, quando a universidade decidiu por adotar cotas sociais sem qualquer critério socioeconômico.

Faixa para textos BAP

Os movimentos que organizam o ato acreditam que a medida não democratiza o acesso à USP porque privilegia estudantes de escolas técnicas estaduais e federais, que também possuem vestibulares para o acesso. De acordo com os manifestantes, essas instituições de ensino são frequentadas por um grupo de pessoas com melhor situação econômica que o restante da população brasileira, que se utiliza em larga medida do ensino público comum.

A USP é a única das três universidades estaduais paulistas que não adotou o sistema de cotas raciais. A UNESP oficializou a medida em 2014, após pressão estudantil e de movimentos sociais, e a UNICAMP fez o mesmo no último dia 30 de Maio.

Última pesquisa divulgada pela Fuvest em 2015, acerca da diversidade racial dos ingressantes na USP, mostra a enorme desigualdade entre negros e brancos. Se comparados os 10 cursos mais concorridos da universidade, das 794 vagas, o número de brancos variava entre 71,4% (audiovisual) e 84,4% (arquitetura em São Carlos).

Há mais de 30 anos o tema é discutido pelo Núcleo de Consciência Negra da USP e por diversos movimentos sociais, em especial o negro. Algumas faculdades da USP, como a Escola de Comunicação e Arte (ECA), adotou as cotas raciais para o vestibular de 2017.

Sobre o Alma Preta

O Alma Preta é uma agência de jornalismo especializado na temática racial do Brasil. Em nosso conteúdo você encontra reportagens, coberturas, colunas, análises, produções audiovisuais, ilustrações e divulgação de eventos da comunidade afro-brasileira. Nosso objetivo é construir um novo formato de gestão de processos, pessoas e recursos através do jornalismo qualificado e independente.

Onde Estamos

Endereços e Contatos
18-80. Jd Nasralla - Cep: 17012-140
Bauru - São Paulo
contato(@)almapreta.com

Mais Lidos